Banca de DEFESA: PRISCILA DA SILVA ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PRISCILA DA SILVA ROCHA
DATA : 31/03/2021
HORA: 14:30
LOCAL: Video conferencia
TÍTULO:

“ GÊNEROS ORAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSÍVEIS DIÁLOGOS ENTRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA E O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM ORAL


PALAVRAS-CHAVES:

Educação. Educação Infantil. Linguagem oral. Gêneros orais. Práticas pedagógicas.


PÁGINAS: 118
RESUMO:

As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI) (BRASIL, 2009) destacam como finalidade da primeira etapa da Educação Básica, o desenvolvimento integral da criança até cinco anos de idade e asseveram que as práticas pedagógicas devem ser pautadas nas experiências vivenciadas na infância. Esta fase da educação coincide com o período em que geralmente a linguagem oral é desenvolvida de maneira mais intensa. Diante disso, os problemas motivadores da pesquisa foram: Como as ações pedagógicas em que os gêneros orais estão presentes nos ajudam a compreender a efetividade das práticas de oralidade na Educação Infantil? O domínio dos fundamentos teóricos acerca do desenvolvimento da linguagem oral e trabalho com gênero textual pode contribuir para um trabalho potencialmente humanizador? Qual é o papel docente para o desenvolvimento da linguagem oral na Educação Infantil? Diante dessas questões, o objetivo geral que delineou a pesquisa foi identificar e analisar práticas pedagógicas nas quais os gêneros orais são instrumentos de ensino para o desenvolvimento da linguagem oral na Educação Infantil. A partir deste, desmembraram-se dois objetivos específicos que buscam responder ao questionamento da pesquisa: compreender o conceito de oralidade, linguagem oral e gêneros orais sob os aspectos linguísticos e sob a ótica da Teoria Histórico-Cultural; e identificar e analisar as percepções de uma educadora em exercício em uma escola na rede pública municipal da cidade de Juiz de Fora, acerca da oralidade e dos gêneros orais na Educação Infantil pautados no desenvolvimento da linguagem oral. A pesquisa está ancorada na Teoria Histórico-Cultural (THC), tendo em Vigotski (1995) como um dos seus idealizadores e principais representantes. Ele e seus colaboradores postulam a natureza social do desenvolvimento humano, considerando as relações sociais, a historicidade e a cultura na constituição do sujeito. A partir deste entendimento, as relações da criança com o outro e o mundo dá-se por meio da linguagem. Em consonância com Vigotski (1995), Bakhtin (2011) afirma que as atividades humanas são construídas nas relações entre os sujeitos em forma de enunciados (gêneros) orais e escritos. Como caminho metodológico para a investigação, optamos por desenvolver uma pesquisa qualitativa baseada em princípios da observação participante, constituída por um levantamento bibliográfico sobre a temática da oralidade, pela observação em uma turma de 2º período da Educação Infantil da rede municipal de Juiz de Fora e por uma entrevista com a professora regente da turma investigada. Os dados constituídos no campo foram organizados em três eixos de análise: 1 – Gêneros orais na Educação Infantil; 2 – Práticas pedagógicas: percepções e formação docente; e 3 – Desenvolvimento da linguagem oral. Podemos concluir que, as práticas pedagógicas com os gêneros orais precisam ter uma intencionalidade pedagógica para se configurarem como potenciais para o desenvolvimento humanizado da linguagem oral.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1005053 - AMANDA VALIENGO
Externa à Instituição - ELIEUZA APARECIDA DE LIMA - UNESP
Interna - 1999919 - GIOVANA SCARELI
Notícia cadastrada em: 31/03/2021 11:16
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01