Banca de DEFESA: ANDRE VINICIUS FERNANDES FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDRE VINICIUS FERNANDES FERREIRA
DATA : 30/07/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Remoto via plataforma Google Meet
TÍTULO:

Desenho racional de alvos antigênicos para obtenção de antígenos que possam ser empregados em testes de
imunodiagnóstico de tripanossomíase bovina


PALAVRAS-CHAVES:

alvos antigênicos, diagnóstico, ELISA, Trypanosoma vivax


PÁGINAS: 67
RESUMO:

A tripanossomíase bovina é uma doença causada por protozoários Trypanosoma spp., dentre eles, a espécie Trypanosoma vivax (T. vivax). Essa doença possui relevância econômica no setor pecuário devido ao seu impacto negativo na bovino cultura. Diante das dificuldades encontradas para um diagnóstico correto e precoce, o imunodiagnóstico apresenta-se como vantagem frente aos demais métodos devido à confiabilidade, facilidade de automação e implementação em campo. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é a busca de novos alvos antigênicos do T. vivax, utilizando ferramentas de bioinformática para serem empregados em testes de imunodiagnósticos para a tripanossomíase bovina. Para isso, foi feito um levantamento das principais proteínas antigênicas do T. vivax em artigos e patentes. Em seguida, foi realizada a análise in sílico das proteínas, utilizando programas de bioinformática para selecionar epítopos com potencial antigênico. Posteriormente, foi feita a construção racional de uma proteína (rTV1) e um peptídeo sintético (TV1P). Através de uma parceria com a FIOCRUZ- MG, duas proteínas também candidatas ao diagnóstico da doença (M1 e M2) foram selecionadas para serem produzidas através de expressão heteróloga, para posteriormente serem utilizadas em ensaios biológicos. As proteínas TV1, M1 e M2 foram utilizadas na expressão heteróloga utilizando células de Escherichia coli BL21 (λDE3) pLysS e pLysE utilizando diferentes protocolos de expressão. Dentre os protocolos utilizados a expressão foi bem-sucedida apenas com a proteína rTV1, que foi purificada e utilizada em um imunoensaio preliminar do tipo ELISA para verificar sua reatividade frente a soros infectados por T. vivax. O ensaio sugere que a rTV1 possui capacidade de discriminar entre animais saudáveis e infectados. O peptídeo TV1P foi sintetizado por síntese química e foi utilizado em ensaios de ELISA para avaliar sua reatividade frente a soros infectados por T. vivax. O peptídeo sintético não apresentou capacidade de imunodeteção, mesmo sendo avaliado em diversas condições. Esses dados preliminares mostram a viabilidade de aprofundar as pesquisas sobre a proteína rTV1, visto que a mesma apresenta potencial para ser empregada em Kits de diagnóstico. Para o peptídeo TV1P são necessários maiores estudos objetivando avaliar o potencial do mesmo para diagnóstico do T. vivax.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1367304 - ALEXSANDRO SOBREIRA GALDINO
Externo à Instituição - FLORA SATIKO KANO
Externo à Instituição - MARCIO SOBREIRA SILVA ARAUJO - FIOCRUZ
Externa à Instituição - SORAYA DOS SANTOS PEREIRA - FIOCRUZ
Notícia cadastrada em: 15/07/2021 17:18
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02