PROMEL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Telefone/Ramal: (32) 3379-5138

Banca de DEFESA: JOSIANE ESTER DE CARVALHO SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSIANE ESTER DE CARVALHO SOUZA
DATA : 26/03/2021
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/dgq-uhyr-jzw
TÍTULO:

Mulheres em protesto: uma análise crítica e multimodal da campanha ''Música: uma construção de gêneros''


PALAVRAS-CHAVES:

Campanha "Música: uma construção de gêneros". Resistência feminina. Multimodalidade. Análise crítica do discurso.


PÁGINAS: 135
RESUMO:

O objeto de investigação desta dissertação é composto por dezessete fotografias de mulheres que apresentam hematomas pelo corpo. Essas mulheres seguram cartazes nos quais estão escritos versos musicais, que, por sua vez, retratam a agressão física que sofreram. As fotografias foram utilizadas na campanha Música: uma construção de gêneros, realizada pela Secretaria de Políticas para Mulheres, na cidade de São Leopoldo, Rio Grande do Sul. O objetivo da pesquisa foi fazer uma análise multimodal do conteúdo imagético relacionado ao conteúdo verbal e, assim, verificar os discursos que emergem, que são (des)construídos, que são (re)articulados e legitimados. A Gramática do Design Visual, de Kress e Van Leeuwen (2006), embasou as análises das fotografias, com uma abordagem multimodal. Para a análise textual, foi empregada a Análise Crítica do Discurso, de Fairclough (2001), com o uso das categorias Intertextualidade e Interdiscursividade e, por fim, a Análise Crítica Musical, amparada pela perspectiva de van Leeuwen (2012) e pela teoria francesa com foco no enunciador musical, completa o referencial teórico deste trabalho. Após esta investigação, concluiu-se que, no contexto musical da campanha, a ação descortina os variados discursos machistas, sexistas e as violências de gêneros que passam despercebidos aos ouvidos de muitas pessoas. Isso acontece devido aos artefatos musicais que disfarçam as relações de poder ali presentes, escondem a brutalidade da violência contra a mulher e funcionam como um despiste ideológico. A iniciativa da campanha conseguiu alertar a sociedade — ainda patriarcal — sobre a perpetuação e a naturalização de tais discursos e como estes podem influenciar as ações do indivíduo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 955.568.343-34 - ARGUS ROMERO ABREU DE MORAIS - UFSJ
Interno - 1544164 - CLAUDIO MARCIO DO CARMO
Interno - 986744 - ANTONIO LUIZ ASSUNCAO
Externo à Instituição - ZÁIRA BOMFANTE DOS SANTOS - UFES
Notícia cadastrada em: 25/03/2021 07:48
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02