Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CRISTINA LA GUARDIA CUSTODIO PEREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA CRISTINA LA GUARDIA CUSTODIO PEREIRA
DATA : 31/03/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma On line
TÍTULO:

DISTÚRBIOS HEMORRÁGICOS E O IMPACTO NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA


PALAVRAS-CHAVES:

Odontologia; hemostasia, exames laboratoriais


PÁGINAS: 99
RESUMO:

Introdução: Durante o atendimento odontológico, o desconhecimento por parte do CD quanto ao manejo pré-operatório do paciente com alguma predisposição/condição hemorrágica ou trombótica (esse último em uso de medicamentos para reduzir o potencial hipercoagulável), pode colocar em risco a saúde deste paciente. A prática odontológica com competência e segurança, exige conhecimentos que até então são pouco explorados por grande parte dos CDs. A familiaridade com diversos exames laboratoriais que permitem avaliar a resposta hemostática de um indivíduo por meio da devida interpretação de seus resultados é  essencial para o CD, uma vez que apresentam grande valor clínico. Objetivo: Avaliar o conhecimento e o impacto dos distúrbios hemorrágicos na prática odontológica. Métodos:Participaram deste estudo transversal observacional descritivo 389 CDs do estado de Minas Gerais, atuantes em serviço público, privado ou em ambos, que concluíram seu curso no período entre 1970 a 2021. Para a obtenção de dados para posterior análise, foi criado um questionado no Google forms, o qual foi enviado a todos os CDs inscritos no CRO-MG.Resultados: Para o presente estudo  foram elegíveis 389 CDs, dos quais maioria foi do sexo feminino. Destes, maioria relatou não ter conhecimento sobre algumas coagulopatias e trombocitopatias, solicitar apenas Tempo de sangramento (TS) e Tempo de protrombina (TP) mesmo realizando procedimentos invasivos. A maioria já atendeu pacientes em uso de medicamentos que interferem na hemostasia, tais como anticoagulantes orais e antiagregantes, porém nunca  enfrentaram um caso de sangramento inesperado pós-operatorio. A maioria dos participantes também relatou nunca ter observado petéquias orais e gengivorragia. Apesar dos CDs realizarem procedimentos invasivos, suas respostas revelaram um significativo desconhecimento sobre uso de anticoagulantes e exames laboratoriais para seu  monitoramento. Como um complemento deste estudo, um manual para consulta rápida dirigido aos CDs está sendo elaborado. Conclusões preliminares: a) O conhecimento dos CDs acerca dos distúrbios hemostáticos e suas implicações na prática odontológica ainda é insuficiente; b) A solicitação e interpretação de exames laboratoriais ainda exige maior domínio do tema; c) O  conhecimento acerca do uso de anticoagulantes orais, assim como o seu devido monitoramento  ainda é incipiente; e d) Há necessidade de envidar esforços buscando melhor qualificação dos CDs no tema do presente estudo. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1699263 - MELINA DE BARROS PINHEIRO INACIO
Interna - 1581667 - DANYELLE ROMANA ALVES RIOS
Interna - 2028750 - CAROLINE PEREIRA DOMINGUETI
Externa à Instituição - PATRICIA NESSRALLA ALPOIM - UFMG
Externa à Instituição - MARIA DAS GRACAS CARVALHO - UFMG
Externa à Instituição - MARIA CRISTINA DUARTE FERREIRA - UMESP
Notícia cadastrada em: 13/03/2023 16:54
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - | Copyright © 2006-2024 - UFSJ - sigaa04.ufsj.edu.br.sigaa04