Banca de DEFESA: ADRIELLE PIEVE DE CASTRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADRIELLE PIEVE DE CASTRO
DATA : 08/06/2021
HORA: 14:00
LOCAL: remoto
TÍTULO:

Resistência aos carbapenêmicos e investigação do efeito sinérgico baseado na minociclina em isolados de Acinetobacter baumannii


PALAVRAS-CHAVES:

Acinetobacter baumannii; Infecções por Acinetobacter; Resistência; Carbapenêmicos; Sinergismo, Combinação antimicrobiana.


PÁGINAS: 111
RESUMO:

Acinetobacter baumannii é um importante patógeno associado às infecções relacionadas à assistência à saúde, principalmente nas unidades de terapia intensiva. Surtos hospitalares por A. baumannii resistentes aos carbapenêmicos (CRAB) têm sido descritos em todo o mundo. Devido à rápida habilidade deste patógeno em adquirir mecanismos de resistência aos antimicrobianos e ausência de novas opções de tratamento, a associação entre diferentes antimicrobianos tem sido utilizada como estratégia para melhorar a eficácia terapêutica, principalmente em isolados multirresistentes (MDR). Nesse contexto, a minociclina tem sido apontada como uma opção na terapia das infecções por A. baumannii devido ao seu perfil de segurança favorável, sua capacidade de superar muitos mecanismos de resistência bacteriana e atividade in vitro contra cepas de A. baumannii MDR. Esse trabalho tem como objetivo ampliar o conhecimento do contexto da resistência bacteriana e avaliar a atividade in vitro de associações antimicrobianas baseadas na minociclina em isolados de CRAB. Os isolados, provenientes de pacientes hospitalizados, tiveram os perfis de susceptibilidade aos antimicrobianos determinados e investigadas a possível atividadedas combinações da minociclina com meropenem, ciprofloxacina, polimixina B e colistina (polimixina E). Todos os isolados apresentaram resistência em alto nível aos carbapenêmicos e ciprofloxacina. Polimixina B, por sua vez, foi o antimicrobiano para o qual houve maior percentagem de susceptibilidade (91,3%) e, consequentemente, o que apresentou maior potência (CIM50: 1 μg/mL). Sinergismo entre minociclina e meropenem foi observado para a maioria dos isolados e o efeito indiferente ou antagônico foi observado majoritariamente para a associação entre minociclina e polimixinas. Esse estudo evidenciou que a associação de um carbapenêmico (meropenem) à minociclina pode ser uma potencial estratégia para o tratamento de infecções por CRAB e, apesar da alta resistência aos antimicrobianos observada nestes patógenos, a susceptibilidade à polimixina B permanece alta.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1971548 - CRISTINA SANCHES
Externa à Instituição - KARINA MARJORIE SILVA HERRERA
Externa à Instituição - MARIANA MARTINS GONZAGA DO NASCIMENTO - UFMG
Notícia cadastrada em: 31/05/2021 11:10
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02