Banca de QUALIFICAÇÃO: ADRIANO LOPES DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADRIANO LOPES DA SILVA
DATA : 16/09/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Campus Centro Oeste Dona Lindu
TÍTULO:

COMPOSIÇÃO QUÍMICA E AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTIOXIDANTE E LARVICIDA DOS EXTRATOS, ÁCIDOS GRAXOS E ÉSTERES METÍLICOS DOS FRUTOS DE Tecoma stans (L.) Juss. Ex Kunth (BIGNONIACEAE)


PALAVRAS-CHAVES:

Tecoma stans, inseticida, atividade antioxidante, atividade larvicida, Culex quinquefasciatus.


PÁGINAS: 59
RESUMO:

Os antioxidantes são de grande benefício para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, já que eles têm a capacidade de proteger um organismo dos danos causados pelos radicais livres. Há um crescente interesse pelos antioxidantes provenientes dos extratos vegetais a partir de plantas aromáticas e medicinais, cereais, frutas, consideradas fontes de antioxidantes naturais, podendo prevenir ou evitar patologias. Dessa forma, é economicamente interessante o investimento em estratégias que previnam a incidência de doenças, assim como em tratamentos eficazes e com baixo custo. O mosquito Culex quinquefasciatus é vetor de vários agentes patogênicos ao homem, sendo caracterizado como de elevada importância em saúde pública, fator de incômodo em inúmeras áreas urbanizadas do Brasil, de presença indesejável e constituindo uma diminuição da qualidade de vida das pessoas, justificando o seu controle em áreas de infestação. A criação do inseticida diclorodifeniltricloroetano (DDT), seguido pelos carbamatos e piretroides, foi um marco histórico e econômico no controle de insetos. Estes inseticidas sintéticos causam grande impacto ambiental e, consequentemente, também à saúde pública, por não serem biodegradáveis e por serem bioacumulativos. Devido a esses fatores, é importante a busca por novos inseticidas mais eficazes. Ipê-mirim, guarã-guarã, ipê-de-jardim, amarelinho e caroba amarela são alguns dos nomes pelos quais é conhecida a espécie Tecoma stans (L.) Juss. Ex Kunth, que pertence à família Bignoniaceae, sendo considerada uma planta invasora no Brasil. Pouco ainda se conhece sobre essa espécie no Brasil, mas sabe-se da presença de substâncias potencialmente bioativas, tais como flavonoides, taninos, alcaloides, quinonas e iridoides. Este estudo teve como objetivo avaliar as atividades antioxidante e o potencial larvicida do fruto de T. stans a partir dos extratos hexânico e metanólico, seus ácidos graxos e ésteres metílicos. Os extratos foram obtidos com hexano e metanol em aparelho Sohxlet. Os extratos foram hidrolisados e esterificados para obtenção de ácidos graxos e ésteres metílicos, respectivamente, que foram analisados por Cromatografia Gasosa, para determinar sua composição química. Na triagem fitoquímica, foi detectada a presença de esteroides, triterpenos, alcaloides e cumarinas para EH, já para EM somente verificou-se a presença de alcaloides e cumarinas. Na análise por CG-EM, foi identificado como composto majoritário (81,69%) no extrato hexânico, o hidrocarboneto nonacosano. Na análise dos FAME, observou-se que a proporção de ésteres saturados (36,37%) foi maior que aqueles insaturados (42,27%) no extrato hexânico. No extrato metanólico, a proporção de ésteres saturados foi de 76,97% e a de insaturados 22,99%. No FAME do extrato hexânico, os compostos majoritários foram o hexadecanoato ou palmitato de metila (C16:0), 9, 12-octadecadienoato ou linoleato de metila (C18:2) e 9, 12, 15 -octadecatrienoato ou linolenato de metila (C18:3), já no FAME do extrato metanólico, o composto majoritário foi o hexacosanoato de metila (C26:0). Na avaliação da atividade antioxidante, as amostras foram efetivas em todas as concentrações testadas (1, 10, 100, 250 e 500 µg/mL), com alto potencial antioxidante, com porcentagem de inibição que variaram de 63,70 a 96,10% na concentração de 500 µg/mL. As amostras foram mais efetivas que o BHT na captura dos radicais DPPH, porque apresentaram menores valores de CE50. Os resultados para a letalidade em A. salinam mostraram que o FAME do extrato hexânico e o FAME do extrato metanólico podem ser considerados tóxicos com DL50 < 1000 µg/mL, e ainda, o FAME do extrato metanólico pode apresentar anti-Tripanossoma cruzi e antitumoral. Dessa forma, pode-se concluir que este trabalho é importante porque contribui para a identificação de compostos presentes nos frutos da T. stans, assim como para a avaliação das atividades biológicas dessa espécie.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1540495 - LUCIANA ALVES RODRIGUES DOS SANTOS LIMA
Externa à Instituição - NATHÁLIA LUCCA SILVA - UNA
Externa à Instituição - MELISSA GRAZIELLE MORAIS - UEMG
Externo à Instituição - MAIRON CESAR COIMBRA - UFSJ
Externo à Instituição - ADRIANO GUIMARAES PARREIRA - UEMG
Notícia cadastrada em: 15/09/2021 14:38
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01