Banca de DEFESA: ALESSANDRA APARECIDA DE MELO SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALESSANDRA APARECIDA DE MELO SOUZA
DATA : 21/10/2021
HORA: 13:30
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

Indução de calos, produção de suspensões celulares e avaliação de compostos fenólicos e alcaloides em Tecoma stans (L). Juss. Ex Kunth (Bignoniaceae)


PALAVRAS-CHAVES:

ipê-de-jardim, calogênese, células em suspensão, compostos fenólicos.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

A cultura de calos e de suspensões celulares constitui uma importante ferramenta biotecnológica que pode ser utilizada para a obtenção de substâncias vegetais bioativas, a partir da adição de reguladores de crescimento no meio de cultivo. Tecoma stans ou ‘’ipê-de-jardim’’ é uma arvoreta nativa de regiões tropicais da América do Norte, utilizada no Brasil para ornamentação dos centros urbanos. Esta planta possui ações contra processos de estresse oxidativo, angiogênese, peroxidação lipídica e inflamação, efeitos esses associados aos compostos fenólicos, especialmente os flavonoides presentes nas flores e folhas. Com o objetivo de estabelecer culturas de calos e de suspensões celulares a partir de segmentos foliares de Tecoma stans e avaliar a produção de compostos fenólicos, explantes foliares foram inoculados em meio MS, suplementado com 30 g L-1 de sacarose e acrescidos de 2,4-D (0; 4,52; 9,05; 18,10 μM) e BAP (0; 4,44; 8,88; 17,75 μM) e suas diferentes combinações e incubados na presença e ausência de luz. Após 45 dias da inoculação, avaliou-se a percentagem de indução de calos e oxidação, a cor, a consistência, matéria seca e fresca dos calos e os teores de fenóis e flavonoides totais, empregando-se metodologias usuais. A curva de crescimento de calos foi estabelecida a partir da inoculação de novos explantes foliares em meio MS suplementado com 30 g L-1 de sacarose e acrescido de 9,05 µM 2,4-D + 17,75 µM BAP, por um período de 120 dias. Suspensões celulares foram obtidas a partir da inoculação de calos friáveis em meio líquido WPM, contendo 30 g L-1 de sacarose e 9,05 μM 2,4-D, sob agitação a 80 rpm, na ausência de luz. O crescimento celular foi avaliado, por meio da determinação do volume celular sedimentado (VCS). Os resultados obtidos mostraram que os calos induzidos em meio suplementado com 9,05 µM 2,4-D + 17,75 µM BAP, na ausência de luz apresentaram alta taxa de indução (93%), baixa taxa de oxidação (20%), coloração amarela, consistência friável, consideráveis valores de matérias fresca e seca, elevados teores de fenóis e os maiores teores de flavonoides totais (119,88±9,34 µg EqAG mg-1 EB e 97,11±12,81 µg EqR mg-1 EB), respectivamente. Até o momento, a curva de crescimento apresentou um padrão sigmoidal, com cinco fases distintas: lag, exponencial, linear e estacionária e de declínio. As suspensões iniciais com 15 dias de idade apresentaram maior VCS e, consequentemente, maior crescimento celular, quando subcultivadas em meio WPM suplementado com a metade da concentração de 2,4-D, em comparação com aquelas subcultivadas em meio WPM contendo 9,05 µM 2,4-D. Não se observou crescimento celular significativo de suspensões iniciais com 21 e 28 dias de idade. Estes resultados evidenciaram a possibilidade de se obter calos e suspensões celulares de T. stans e compostos fenólicos in vitro a partir de culturas de calos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 395916 - ANA HORTENCIA FONSECA CASTRO
Interna - 1540495 - LUCIANA ALVES RODRIGUES DOS SANTOS LIMA
Externo à Instituição - GERALDO ALVES DA SILVA - UNIFAL-MG
Notícia cadastrada em: 23/09/2021 23:31
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01