Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ MÁRCIO GOMES FERNANDES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSÉ MÁRCIO GOMES FERNANDES
DATA : 16/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Video Conferência Google Meet
TÍTULO:

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA DO TUBO INTESTINAL DE Culex quinquefasciatus APÓS EXPOSIÇÃO À DOSE SUBLETAL DE INSETICIDAS


PALAVRAS-CHAVES:

Culicidae, mosquitos, enzimas, bioquímica, inseticida, estresse oxidativo.


PÁGINAS: 80
RESUMO:

O gênero Culex tem grande importância sanitária no Brasil, sendo transmissor da filariose e, recentemente, relatado como possível transmissor do Zika Vírus. Disseminada por todo o país, a prática do uso de inseticidas é a mais comumente empregada para o controle da proliferação de mosquitos. Estes inseticidas, usualmente, causam diversos danos aos animais, seja na atividade de algumas enzimas, como a Acetilcolinesterase (AChE), seja na produção excessiva de Espécies Reativas de Oxigênio (ERO’s). Ainda relatos de resistência já são descritos, muitas vezes caracterizados pelas enzimas antioxidantes presentes nestes organismos, como a Superóxido Dismutase (SOD) e a Catalase (CAT), que protegem os animais dos danos causados pelas ERO’s. Deste modo, o presente trabalho buscou avaliar a bioquímica e o estresse oxidativo de larvas de 3º e 4º instar de Cx. quinquefasciatus após exposição à dose subletal do inseticida organofosforado Temefós e do derivado da Ivermectina, o Ivomec. Para tal, foram montadas cubas ao ar livre para a obtenção das larvas, em seguida elas foram expostas aos inseticidas para avaliação da dose subletal. Para a análise bioquímica e estresse oxidativo, os grupos de larvas foram expostos à CL50 dos inseticidas e posteriormente, foi preparado material para realização de avaliação da atividade da bomba de Na+,K+-ATPase (NKA), dosagem dos níveis de GSH, Peróxido de Hidrogênio, Lipoperoxidação e Proteína Carbonilada, atividade das enzimas SOD e acetilcolinesterase (AChE). Aqui foi demonstrado que a atividade das enzimas SOD e AChE, e a atividade da NKA sofreram um decaimento quando comparado o grupo controle aos grupos tratados com os inseticidas. A possibilidade da análise do decaimento de atividade da AChE, inclusive, é um achado extremamente importante, uma vez que outros trabalhos presentes na literatura não conseguiram observar sensibilidade desta enzima quando aplicado os inseticidas. Ainda, foi quantificado menores níveis de H2O2, GSH e Lipoperoxidação. Isso pode ser um indicativo de que tais mosquitos aqui estudados provêm de populações resistentes aos inseticidas empregados. O único indicativo de estresse oxidativo veio com o aumento da carbonilação de proteínas nos indivíduos tratados com Temefós. Este trabalho pode auxiliar na compreensão da biologia do mosquito, bem como levantar hipóteses de como a resistência aos inseticidas opera nestes mosquitos, além de, possivelmente, auxiliar em buscas futuras de novas formas efetivas de controle desses espécimes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1716846 - VANESSA FARIA CORTES
Externo à Instituição - LUCIANO APARECIDO MEIRELES GRILLO - UFAL
Externo à Instituição - EMERSON GUEDES PONTES - UFRRJ
Notícia cadastrada em: 24/08/2021 14:38
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02