Banca de DEFESA: AMANDA MAGALHAES CONTIN

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AMANDA MAGALHAES CONTIN
DATA : 31/03/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Remoto (google meet ou plataforma zoom)
TÍTULO:

 FLUTUAÇÕES NO NÍVEL DA ÁGUA E SEUS EFEITOS SOBRE A INTEGRIDADE AMBIENTAL EM UM RESERVATÓRIO TROPICAL


PALAVRAS-CHAVES:

Mudanças climáticas; Secas severas; Reservatórios tropicais de usinas hidroelétricas; Qualidade da água; Fitoplâncton.


PÁGINAS: 80
RESUMO:

Flutuações no nível da água em sistemas aquáticos são fenômenos naturais causadas principalmente por variações climáticas diretas (regime de chuvas) e hidrológicas (perdas por evaporação, controle artificial da vazão, etc). Porém, ao se tornar mais intenso, este fenômeno pode gerar danos à integridade ambiental e à sustentabilidade de ecossistemas aquáticos. Mudanças na distribuição espacial de produtores primários, alterações na temperatura e, consequentemente, na termoclina e na estratificação, declínio na qualidade da água e alterações na comunidade planctônica são alguns dos impactos observados em ecossistemas que passam por flutuações de nível expressivas. Este trabalho teve como objetivo avaliar os impactos das variações de nível no Reservatório da Usina Hidrelétrica de Furnas (UHE-Furnas) sobre a qualidade física e química da água e sobre a comunidade de produtores primários (fitoplâncton). Foi testada a hipótese que as flutuações de nível da água levam a uma queda na qualidade física (aumento da temperatura, redução na transparência) e química (redução nas concentrações de oxigênio dissolvido, alterações de pH, aumento nas concentrações de nutrientes orgânicos e inorgânicos) da água, levando a um processo de homogeneização entre os dois rios que formam o reservatório - Rio Grande e Rio Sapucaí. Também testou-se a hipótese de que as variações do nível da água resultam em alterações na biomassa e composição taxonômica dos principais grupos fitoplanctônicos, favorecendo aumento de biomassa total e de espécies que se desenvolvam melhor em condições de concentrações mais elevadas de nutrientes, temperatura mais elevada e baixa transparência da água, como Cyanobacteria e algas flageladas com potencial mixotrófico. Foram analisadas amostras de água de baías localizadas nos dois braços que formam o reservatório – o braço do Rio Grande e o do Rio Sapucaí, coletadas nos anos de 2014, 2015 e 2016. In situ foram obtidos os dados das concentrações de oxigênio dissolvido (OD) e das variáveis pH e temperatura. Os dados sobre a qualidade química da água foram obtidos a partir de análises da concentração de nitrogênio inorgânico dissolvido (NID), nitrogênio orgânico dissolvido (NOD), fósforo solúvel reativo (SRP) e fósforo total (PT). As mudanças na comunidade fitoplanctônica foram analisadas por meio da caracterização taxonômica da comunidade, análises de ácidos graxos e posterior cálculo de biovolume para determinação da biomassa e diversidade usando o índice de Shannon-Wiener. Análises de ácidos graxos de amostras do seston foram realizadas para identificarmos possíveis mudanças na composição e biomassa do fitoplâncton e de bactérias entre pontos amostrais e períodos de coleta. Os resultados obtidos mostram que nas baías localizadas no braço do Rio Sapucaí as concentrações de nitrogênio amoniacal (NH4-N) e de NOD foram significantemente maiores e as concentrações de OD menores do que nas baías amostradas no braço do Rio Grande.  Para as demais variáveis físicas e químicas não foram encontradas diferenças significativas entre os dois braços que formam o reservatório, o que corrobora parcialmente a hipótese de que está havendo uma homogeneização entre os braços do reservatório, quando seus níveis de água são reduzidos. No braço do Rio Grande, as concentrações de NO3+NO2-N e NTD na água foram correlacionadas negativamente com o nível do reservatório, sugerindo que a redução de nível leva à concentração desses nutrientes na água. O nível do reservatório também teve um efeito negativo sobre o biovolume total do fitoplâncton e as concentrações de ácido graxo saturado 18:0 (ácido octadecanóico), um ácido graxo muito abundante em células algais e cianobactérias, o que pode ser o resultado da maior disponibilidade de nutrientes para fomentar o crescimento do fitoplâncton, em condições de menor nível de água. Já no braço do Rio Sapucaí, as concentrações de NO3-N, NTD e PT foram correlacionadas positivamente com o nível do reservatório, sugerindo que a contribuição alóctone de nutrientes oriundos da paisagem circundante aumenta as concentrações desses nutrientes na água em períodos de maior pluviosidade, quando o nível do reservatório aumenta. O nível do reservatório também afetou positivamente o biovolume da comunidade fitoplantônica e as concentrações de ácido octadecanóico no Rio Sapucaí, o que pode estar relacionado com a entrada de nutrientes no rio. O controle manual do nível do reservatório é uma estratégia de manejo usada para melhorar a qualidade da água. Além das alterações de nível causadas pelo manejo do reservatório, alterações climáticas que causem secas extremas ou chuvas intensas também podem afetar o nível da água e comprometer as características ambientais do sistema. Porém, diferenças na resposta de cada tributário às variações de nível podem afetar a resposta final do sistema à tais alterações. Assim, é preciso levar em consideração tais diferenças no comportamento e processos de cada sistema, assim como as características de uso e ocupação do solo em toda a bacia, para um manejo correto desses reservatórios durante períodos de forte alteração de nível na água, visando não apenas a manutenção da qualidade da água e a prestação de serviços ecossistêmicos, mas também a manutenção da integridade ambiental e a sustentabilidade das comunidades aquáticas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2566929 - IOLA GONCALVES BOECHAT
Interna - 007.170.909-65 - FRANCIELLE DA SILVA CARDOZO - UFSJ
Interno - 1375368 - LEONARDO CRISTIAN ROCHA
Interno - 1671307 - BJORN GUCKER
Externo à Instituição - CLEBER CUNHA FIGUEREDO - UFMG
Notícia cadastrada em: 23/03/2021 11:29
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02