Banca de DEFESA: DUANE GISCHEWSKI PEREIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DUANE GISCHEWSKI PEREIRA
DATA : 23/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/wca-uybq-aym
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO EFEITO SINÉRGICO ENTRE DIGOXINA E CISPLATINA NA SINALIZAÇÃO E ESTRESSE CELULAR


PALAVRAS-CHAVES:

digoxina, cisplatina, tratamento combinado, Src, estresse oxidativo


PÁGINAS: 82
RESUMO:

Os esteróides cardiotônicos têm sido usados como fármacos cardíacos por mais de 200 anos e, atualmente vários estudos demonstram interessantes efeitos antitumorais com esteróides cardiotônicos para uma série de culturas celulares. A cisplatina tem desempenhado um papel crucial na quimioterapia e tratamentos anticâncer há mais de 30 anos. Porém, o tratamento com cisplatina pode causar efeitos colaterais graves, como mielossupressão, ototoxicidade e nefrotoxicidade, além dos processos de resistência celulares, já descritos na utilização prolongada da droga. Estudos anteriormente publicados, por nosso grupo de pesquisa, demonstraram um potente efeito sinérgico antitumoral entre digoxina 1nM e cisplatina 1µM em células de câncer de colo uterino (HeLa), além de elucidar uma possível via de sinalização que estaria desencadeando o processo antitumoral, onde foi demonstrado o efeito do tratamento combinado frente a atividade e expressão da Na,K-ATPase e o envolvimento de Src. O objetivo do presente trabalho é demonstrar o efeito do tratamento combinado entre digoxina e cisplatina sobre a ativação de Src, através de ensaios de expressão proteica e, o efeito do tratamento combinado sobre parâmetros de estresse oxidativo em células HeLa. Além de demonstrar o efeito do tratamento em outras linhagens celulares, tumoral e normal. O tratamento combinado demonstrou aumentar a expressão de Src fosforilada no resíduo de ativação (Tyr416), comprovando o envolvimento de Src no seu efeito citotóxico. Analisando os parâmetros de estresse oxidativo, observamos uma redução significativa em mecanismos de defesa antioxidantes celulares, atividade de SOD e conteúdo de GSH e, um aumento em 24 horas no conteúdo de H2O2, comprovando o aumento do estresse oxidativo celular frente ao tratamento combinado. Além disso, foram avaliados os níveis de peroxidação lipídica e formação de gotículas lipídicas, onde foi observado um aumento desses parâmetros após 48 horas de tratamento, o que já é descrito comumente em casos de estresse oxidativo. Frente às outras linhagens celulares testadas, A549 (células epiteliais de câncer de pulmão) e WI-38 (células normais de fibroblasto humano), o tratamento combinado não teve a capacidade de alterar significativamente a viabilidade celular em comparação ao controle. Nossos experimentos sugerem que o efeito antitumoral do tratamento sinérgico entre digoxina e cisplatina em células HeLa, parece estar correlacionado com o aumento de estresse oxidativo nesse tipo celular, mediante ativação de Na,K-ATPase/Src/EROS o que por sua vez, poderia culminar em diferentes efeitos celulares como, efeitos sinalizatórios, antiproliferativos e apoptóticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1716846 - VANESSA FARIA CORTES
Interna - 1692875 - VALERIA ERNESTANIA CHAVES
Externo ao Programa - 1084423 - RAFAEL GONCALVES TEIXEIRA NETO
Externo à Instituição - MARCUS FERNANDES DE OLIVEIRA - UFRJ
Externo à Instituição - VICTOR DO VALLE PEREIRA MIDLEJ - Fiocruz - RJ
Notícia cadastrada em: 17/02/2021 10:32
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01