Banca de QUALIFICAÇÃO: NÍVEA APARECIDA DE ALMEIDA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NÍVEA APARECIDA DE ALMEIDA
DATA : 26/02/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO PERFIL DOS PACIENTES EM USO DE ANTICOAGULANTES ORAIS DIRETOS ATENDIDOS VIA JUDICIAL


PALAVRAS-CHAVES:

Judicialização da Saúde; Farmacovigilância; Rivaroxabana; Apixabana; Dabigatrana; Edoxabana; Anticoagulantes.


PÁGINAS: 89
RESUMO:

Objetivo: Avaliar o perfil dos pacientes e das solicitações de anticoagulantes orais diretos (DOACs) atendidos via judicial. Métodos: Estudo documental descritivo dividido em dois artigos: (1) Foram avaliadas as características sociodemográficas, do diagnóstico e tratamento dos pacientes, bem como informações sobre as evidências da eficácia e segurança da tecnologia e conclusão de todas as Notas Técnicas (NT) referentes à solicitação de DOACs obtidas na plataforma e-NatJus; (2) Está sendo realizada a coleta de dados em Divinópolis de todos os processos julgados com parecer favorável pela justiça referentes a solicitação dos DOACs. A coleta de dados está sendo realizada em três fontes secundárias: os processos judiciários, prontuários dos pacientes e o Sistema de Informações em Saúde (SIS). As categorias de variáveis de interesse são características: sociodemográficas; relacionada a segurança; farmacoterapêuticas; clínicas; informações sobre o acompanhamento dos pacientes no SUS. Em ambas etapas foram realizadas uma análise descritiva, apresentando os valores absolutos e relativos das variáveis. Resultados: Etapa 1: foram incluídas no estudo 181 NT: rivaroxabana (67%), apixabana (16%), dabigatrana (12%) e edoxabana (5%). Aproximadamente 86 NT estavam com conteúdo semelhante no item evidência científica. Observou-se que 57,5% tiveram a conclusão não favorável para disponibilizar o medicamento solicitado. Dentre as 77 NT que tiveram a conclusão favorável, 57,1% não avaliaram as recomendações da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (CONITEC). Etapa 2: na busca inicial encontrou 75 processos, do qual foi analisado 20 até o momento. Observou-se que 90% dos indivíduos são do sexo feminino, a média de idade foi de 66 anos. Cerca de 85% dos médicos registraram que houve tentativa terapêutica com varfarina antes da introdução dos DOACs. A justificativa utilizada pelos prescritores por optar pelos DOACS, foram 35% relataram que os pacientes apresentaram alterações e difícil controle da RNI, 30% que o medicamento padronizado no SUS apresenta alguns inconvenientes e 20% relataram incompatibilidade do paciente com o medicamento disponibilizado pelo SUS. Outro dado encontrado foi que 14,6% dos pacientes nunca pegaram na farmácia o medicamento solicitado via judicial medicamento. Conclusão: Observamos em grande parte dos processos e NTs que as prescrições médicas dos DOACs não se baseiam em protocolos e diretrizes clínicas estabelecidas pelo SUS para tratar as devidas solicitações.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ELISANGELA DA COSTA LIMA - UFRJ
Presidente - 1581667 - DANYELLE ROMANA ALVES RIOS
Externa à Instituição - MARIA AUXILIADORA PARREIRAS MARTINS - UFMG
Notícia cadastrada em: 08/02/2021 12:42
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01