Banca de DEFESA: TAINARA PIMENTA SILVÉRIO AUGUSTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : TAINARA PIMENTA SILVÉRIO AUGUSTO
DATA : 02/07/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Video conferência
TÍTULO:

MINERAÇÃO (IN)SUSTENTÁVEL: Políticas públicas para municípios mineradores


PALAVRAS-CHAVES:

Mineração. Desenvolvimento Sustentável. Educomunicação. Políticas Públicas.


PÁGINAS: 337
RESUMO:

A mineração no Brasil segue um modelo primário-exportador, capital-intensivo, que, apesar de possibilitar o desenvolvimento socioeconômico, concentra lucros e gera grandes impactos, entre eles a vulnerabilidade e o enclave econômico, principalmente em municípios mineradores. É necessário ter consciência de que as reservas minerais são exauriveis e consideravelmente impactadas por externalidades, temporalidades e oscilações de mercado. Diante disso, é importante compreender e pensar estratégias para minimizar a dependência da atividade. O Estado, seus espaços e instrumentos são a maneira mais eficiente e viável de proteger as comunidades, os territórios e a sociedade da exploração predatória dos recursos naturais. É por meio dele que se consegue promover o desenvolvimento sustentável local, assegurar a legalidade do processo, solucionar conflitos, distribuir os benefícios e resguardar os direitos para que a sociedade possa exercer a autonomia nos territórios. Este trabalho foca a indústria extrativa do minério de ferro, principalmente no estado de Minas Gerais, na região do Quadrilátero Ferrífero (QF). É realizada uma análise sobre as políticas públicas aplicadas à mineração nos três níveis de poder. No âmbito municipal, o objeto de estudo é a cidade de Itabirito-MG, município de grande importância da região do QF, e se discute a importância e possibilidade da participação popular por meio de práticas educomunicativas, de modo a contribuir para a gestão de políticas públicas, possibilitando às populações maior protagonismo. O estudo de caso deste trabalho analisa socioeconomicamente Itabirito e aprofunda a situação do seu distrito São Gonçalo do Bação, que tem passado por conflitos relacionados à mineração em seu território. As fontes de dados para essa análise foram entrevistas semiestruturadas em profundidade e a experiência do grupo on-line Bação Sustentável. O projeto prático utiliza os princípios da educomunicação para construir e conduzir práticas em ambiente digital, que têm como objetivo despertar na comunidade uma consciência crítica sobre os impactos da mineração na região e sobre a possibilidade de um desenvolvimento sustentável desvinculado da atividade, sendo uma alternativa para tornar o local menos dependente e a fim de promover transformação social. A partir da fundamentação teórica apresentada e da análise dos dados, conclui-se que as práticas educomunicativas por meios digitais podem auxiliar na gestão de políticas públicas e, principalmente, podem fomentar movimentos sociais em prol de práticas e vivências sustentáveis que auxiliem as populações das áreas mineradoras em situações de dependência da atividade.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - FLÁVIA RIBEIRO BOTECHIA - UFES
Interna - 1715892 - FILOMENA MARIA AVELINA BOMFIM
Presidente - 088.683.867-39 - MARCELA ALVES DE ALMEIDA - UFES
Interna - 2097070 - MARCIA SAEKO HIRATA
Notícia cadastrada em: 17/06/2021 11:30
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02