Banca de QUALIFICAÇÃO: DAMIANA ANTONIA DE FATIMA NUNES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DAMIANA ANTONIA DE FATIMA NUNES
DATA : 23/10/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Campus Centro Oeste Dona Lindu e Campus Alto Paraopeba (Via plataforma digital)
TÍTULO:

Prospecção de atividade antiviral contra os arbovírus Zika e Mayaro em extratos e compostos isolados de Maytenus quadrangulata (Celastraceae)


PALAVRAS-CHAVES:

ZIKV, MAYV, Maytenus sp., antiviral


PÁGINAS: 91
RESUMO:

Nos últimos anos, a taxa de aparecimento de algumas arboviroses tem aumentado. Entre elas, se destacam casos referentes ao Zika virus (ZIKV) e ao Mayaro virus (MAYV) que começaram a ter o número de notificações crescente. Até o momento, não há fármacos antivirais ou vacinas contra esses vírus, estimulando a busca por antivirais, principalmente devido aos agravos dessas doenças que podem ser incapacitantes ao paciente. Moléculas oriundas de plantas se destacam nessa busca, entre elas, as originárias do gênero Maytenus, o qual apresenta compostos com atividades biológicas bem descritas, tornando as espécies do grupo candidatas à prospecção de antivirais. O objetivo desse trabalho foi prospectar antivirais contra os vírus Mayaro e Zika em extratos e compostos derivados de folhas e galhos de Maytenus quadrangulata. Inicialmente, foi determinada a concentração citotóxica para 50% das células (CC50), utilizando diferentes extratos da planta. Em seguida, foram obtidos a concentração efetiva protetiva para 50% das células infectadas (CE50) e o índice de seletividade (IS). Os extratos EHF, EAF e EAG apresentaram baixa citotoxicidade, com CC50 de 547, 953, >1000 ug/mL, respectivamente. Quanto à ação antiviral contra o ZIKV, a CE50 ocorreu nas concentrações de 25, 11 e 56 μg/mL, respectivamente. Para o MAYV, apenas EAF e EAG foram eficazes, com CE50 de 12 e 101 μg/mL, respectivamente. Os valores dos IS se mostraram acima de 4, conforme recomenda a literatura. Na busca dos princípios de ação, ensaios foram realizados com compostos isolados do extrato EHF. Porém, apesar da promissora ação do extrato, nenhum dos seus isolados apresentou atividade separadamente, indicando possível ação sinérgica, o que será confirmado. Os extratos EAF e EAG, que também apresentaram ação antiviral, foram caracterizados por fitoquímica, e mostraram predominantemente catequinas em sua composição, com uma maior seletividade antiviral para o EAF. Para esse extrato, a ação antiviral foi confirmada por outros ensaios, sendo mostrada marcante redução do efeito citopático viral (ECP), redução na formação de placas virais e inibição na produção de vírus no sobrenadante das culturas, mesmo quando alta carga viral foi utilizada na infecção. Finalmente, foi iniciada a caracterização de possíveis mecanismos de ação, sendo caracterizado   efeito virucida para ambos os vírus, não afetando etapas de adsorção e penetração. Nossos dados, em conjunto, mostram que os extratos de M. quadrangulata, são eficientes na inibição de ZIKV e MAYV, possivelmente por ação de catequinas, as quais, se ligando a elementos virais e não celulares, são capazes de inativar os vírus mesmo em alta carga. Este estudo é o primeiro a examinar o efeito antiviral e os mecanismos exercidos por extratos de M. quadrangulata sobre o ZIKV e o MAYV.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 395916 - ANA HORTENCIA FONSECA CASTRO
Interna - 1742677 - JAQUELINE MARIA SIQUEIRA FERREIRA
Interno - 1673648 - JOSE CARLOS DE MAGALHAES
Externo à Instituição - BRUNO EDUARDO FERNANDES MOTA - UFMG
Externo à Instituição - LEONARDO CAMILO DE OLIVEIRA - UFMG
Notícia cadastrada em: 08/10/2020 19:13
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01