Banca de DEFESA: ALESSANDRA MORAES PEDROSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALESSANDRA MORAES PEDROSA
DATA : 07/05/2021
HORA: 08:30
LOCAL: Campus Centro Oeste Dona Lindu
TÍTULO:

PRODUÇÃO DE CANABINOIDES A PARTIR DE CULTIVO IN VITRO DE Cannabis sativa L.


PALAVRAS-CHAVES:

Canabinoides, CBD, micropropagação


PÁGINAS: 147
RESUMO:

Cannabis sativa L., popularmente conhecida como maconha, tem sido usada por milhares de anos no tratamento de diversas doenças, com destaque para neurológicas. Seus efeitos são associados à presença de metabólicos secundários denominados canabinoides, sendo os principais: o canabidiol (CBD) e o tetrahidrocanabinol (THC). A demanda crescente desses compostos é evidente, principalmente, do CBD para o tratamento da ansiedade. No entanto, o cultivo de C. sativa e a produção de medicamentos contendo CBD ainda são estritamente regulamentados em muitos países. Diante disso, este trabalho tem como objetivo utilizar técnicas de cultivo in vitro de C. sativa para produção de CBD e analisar seu efeito ansiolítico em peixes-zebra. As sementes utilizadas foram obtidas de material apreendido pela Polícia Civil de Minas Gerais (Divinópolis) para o estabelecimento das plântulas. A indução de calos e sua manutenção em diferentes meios nutritivos foram utilizadas para a produção de CBD. Foram analisados os aspectos macro e micro morfológicos e histológicos dos calos, além dos extratos para detecção e quantificação de CBD. E por fim, os calos produzidos com maior teor de CBD foram utilizados como tratamento de peixes-zebra, no teste do tanque novo, para analisar seu efeito ansiolítico. Por meio do presente trabalho foi possível estabelecer in vitro plântulas da espécie C. sativa, mesmo com baixa taxa de germinação e alta de contaminação por fungos. Também foi possível observar que explantes com origem distintas responderam de forma diferente a um mesmo regulador de crescimento. A indução de calos ocorreu de forma satisfatória, com alguns tratamentos ocasionando a produção CBD, e, possivelmente, de THC e canabinol (CBN). O efeito ansiolítico dos calos foi comprovado mediante o aumento da atividade exploratória e locomotora dos peixes-zebra após o tratamento. Diante disso, foi possível concluir que o cultivo in vitro pode ser uma alternativa a ser utilizada para produzir canabinoides naturais, principalmente o CBD. Ademais, os calos ricos em CBD produzidos neste estudo podem se tornar um meio de produção de novos fármacos para o tratamento de ansiedade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1908201 - JOAQUIM MAURICIO DUARTE ALMEIDA
Externo ao Programa - 1716137 - HELIO BATISTA DOS SANTOS
Externo à Instituição - FULVIO RIELE MENDES - UFABC
Externo à Instituição - JOÃO PAULO VIANA LEITE - UFV
Externo à Instituição - ADRIANO GUIMARAES PARREIRA - UEMG
Externo à Instituição - MAIRON CESAR COIMBRA - UFSJ
Notícia cadastrada em: 03/05/2021 13:27
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02