Banca de DEFESA: NATHALIA HIRATSUKA CAMILO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATHALIA HIRATSUKA CAMILO
DATA : 19/05/2021
HORA: 08:30
LOCAL: Campus Centro Oeste Dona Lindu
TÍTULO:

MICRO-ORGANISMOS EFICIENTES NO CULTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS: AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DE SEUS METABÓLITOS SECUNDÁRIOS


PALAVRAS-CHAVES:

Plantas medicinais, cultivo, biofertilizante, micro-organismos eficientes.


PÁGINAS: 67
RESUMO:

O uso de plantas medicinais faz parte da terapia popular contribuindo para a consolidação de um conjunto de habilidades internalizadas nos usuários e praticantes. Porém, com a grande oferta de medicamentos industrializados, aquela prática diminuiu nos últimos anos. Além da obtenção das plantas medicinais estar vinculada ao extrativismo, as técnicas de cultivo são escassas, o que reduz a padronização e garantia de qualidade final.  Neste contexto, com vistas ao aumento de produtividade e obtenção de produtos mais saudáveis, os biofertilizantes surgem como alternativa aos químicos. Os Micro-organismos Eficientes (ME), utilizados como biofertilizantes, consistem de associações de culturas de micro-organismos benéficos, encontrados naturalmente nos solos e que podem incrementar a biodiversidade microbiana. Alguns estudos têm demonstrado que a inoculação de culturas de ME promove a melhoria na qualidade dos solos, especialmente na síntese de metabólitos e desenvolvimento do vegetal em geral. Assim, os objetivos deste trabalho foram de avaliar o efeito da aplicação de biofertilizante à base de ME sobre aspectos gerais do desenvolvimento de três plantas medicinais (Thymus vulgaris, Phyllanthus niruri e Mentha piperita), avaliar os metabólitos secundários produzidos, identificar as espécies bacterianas presentes no biofertilizante e determinar a concentração daqueles micro-organismos nas amostras de solo. O biofertilizante apresentou em sua composição bactérias fotossintetizantes e produtoras de ácido lático, destacadamente Lactobacillus plantarum e Rhodobacter sp. Por meio da análise química dos solos, as amostras com o biofertilizante apresentaram teores de P, Ca, Mg, Zn, Fe e Mn maiores que nos solos controle. Além disso, os solos tratados indicaram maior contagem bacteriana e as plantas neles cultivados apresentaram dimensões mais pronunciadas em suas partes gerais. No entanto, o biofertilizante contendo ME não provocou efeitos positivos nos resultados qualitativos dos metabólitos secundários indicando ainda efeitos negativos nos resultados quantitativos relacionados àqueles metabólitos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1908201 - JOAQUIM MAURICIO DUARTE ALMEIDA
Externa à Instituição - NATHÁLIA LUCCA SILVA - UNA
Externa à Instituição - MELISSA GRAZIELLE MORAIS - UEMG
Externo à Instituição - ADRIANO GUIMARAES PARREIRA - UEMG
Notícia cadastrada em: 12/05/2021 09:29
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01