Banca de DEFESA: ALESSANDRA MARA DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALESSANDRA MARA DE SOUSA
DATA : 19/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

ESTUDO in vitro DA ATIVIDADE ANTILEISHMANIA DE COMPOSTOS SINTÉTICOS DERIVADOS DE CHALCONAS SOBRE Leishmania (Viannia) braziliensis


PALAVRAS-CHAVES:

Em breve.


PÁGINAS: 48
RESUMO:

As leishmanioses são doenças negligenciadas com grande incidência nos países em desenvolvimento, estima-se que hoje em dia, 350 milhões de pessoas estão em risco de se infectar e desenvolver uma de suas formas clínicas, totalizando 2 milhões de novos casos anualmente. O tratamento é medicamentoso, porem conta com a escassez alarmante de medicamentos em uso clínico atual e diversos efeitos colaterais, além de relatos de resistência associados a muitos desses medicamentos utilizados como primeira escolha. Todo esse contexto leva a necessidade da busca urgente de novos fármacos sejam eles de origem natural ou sintético. O desenvolvimento de novas drogas tem sido um desafio, principalmente devido à resistência adquirida por muitos parasitos a medicamentos convencionais. Neste trabalho avaliou-se o potencial antileishmania de chalconas sintéticas, como já descrito na literatura, a presença da função α,β-insaturada, juntamente com o tipo e posição do substituinte nos anéis aromáticos, estão frequentemente relacionados a atividade biológica levando. Quando testadas frente as formas promastigotas os derivados NFC e CH4OH, apresentaram os valores de IC50 mais promissores e quando testados frente as formas amastigotas os derivados CAdiCl, CH4OH apresentaram os valores de IC50 mais promissores sendo capazes de inibir 50% do crescimento celular nas culturas de L. braziliensis. Grande parte dos fármacos aprovados para consumo é de origem natural, principalmente nas áreas das doenças infecciosas e do câncer (BASTOS et al., 2016). Os promissores resultados químicos e farmacológicos aqui demonstrados viabilizam a utilização das classes químicas estudadas na representação de novas possibilidades terapêuticas, uma vez que já foram descritos seus efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes, além de serem moléculas com grande possibilidade de serem manipuladas assim permitindo alterações estruturais, moleculares e substituições em sua estrutura química, assim, pode-se potencializar o efeito contra o patógeno, causar inibição ou ativação de alguma enzima, receptor, bem como alterar suas características farmacocinéticas e farmacodinâmicas entre diversas outras atividades (FAGAGNA et al., 2003). Diante o exposto, fica evidente a importância da busca de novas substâncias bioativas com atividade antileishmania, seja de origem natural ou sintética como fonte de compostos quimioterápicos que tenham maior atividade, menos efeitos colaterais e custo moderado (TIUMAN et al., 2011).


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - RUBENS LIMA DO MONTE NETO - FIOCRUZ
Externa ao Programa - 1687272 - MARIANE CRISTINA SCHNITZLER VILLAR
Presidente - 1084423 - RAFAEL GONCALVES TEIXEIRA NETO
Notícia cadastrada em: 18/02/2021 09:08
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa01.ufsj.edu.br.sigaa01