Dissertações/Teses
2021
Dissertações
1
  • MONIQUE MACEDO COELHO
  • AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE NANOPARTÍCULAS DE OURO À OVALBUMINA COMO ADJUVANTE EM RESPOSTA IMUNE

  • Orientador : RAQUEL ALVES COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALICE FREITAS VERSIANI
  • CLAUDIA ROCHA CARVALHO
  • ERIKA LORENA FONSECA COSTA DE ALVARENGA
  • ETEL ROCHA VIEIRA
  • RAQUEL ALVES COSTA
  • THIAGO CANTARUTI ANSELMO
  • Data: 01/02/2021

  • Mostrar Resumo
  • Existem várias propostas de interferências na resposta imunológica, preventivas ou terapeuticas. Uma dessas formas de interferência, muito promissora, que vem sendo estudada é a injeção de proteínas imunologicamente toleradas. A tolerância oral é um fenômeno que inibe a resposta imune, como a formação de anticorpos específicos, após imunização com antígeno acrescida de adjuvante em animais previamente expostos à proteína via oral. Nesse trabalho, estudamos se aplicação subcutânea (s.c,) em camundogos, de nanopartículas de ouro (AuNPs) associadas a Ovalbumina (OVA) contribuiria no estabelecimento da tolerância oral, como um material adjuvante. Nesse sentido, sintetizamos AuNPs esféricas, com aproximadamente 7 nm, funcionalizamos com OVA e fizemos a caracterização físico-química do material, para isso, utilizamos a Espectroscopia de Ultravioleta-Visível (UV-Vis), Microscopia Eletrônica de Transmissão (MET), Espalhamento Dinâmico de Luz (DLS) e o Pontencial Zeta. Posteriormente, foi feito um tratamento oral com OVA por 5 dias consecutivos em camundongos Swiss, machos, de 8 semanasde idade. Sete dias após o tratamento oral todos os animais receberam suas injeções primárias (s.c) na base da cauda e vinte e um dias após as injeções primárias os animais receberam as injeções secundárias (s.c). No dia das injeções primárias, foram feitas lesões em uma das orelhas dos camundongos. Avaliamos o potencial de imunização, bem como o estabelecimento da tolerância a OVA dos animais, verificando o título de anticorpos anti-OVA totais com o Ensaio de Imunoabsorção Enzimática (ELISA). Também foi avaliada, histologicamente, a base da cauda, no local em que os animais receberam as injeções e as lesões das orelhas, para avaliação dos efeitos indiretos da tolerância oral. Os resultados demonstraram que as AuNP+OVA tem um papel adjuvante e conseguem manter os efeitos indiretos da tolerância oral. Posteriormente, para entender quais vias de sinalização intracelular as AuNPs e AuNPs+OVA podem interferir nas respostas imunes, modelamos in silico interações entre as AuNPs e AuNPs+OVA com as proteínas OVA, LC3; ASC PYCARD; Glutationa; TLR4; PI3K e NF-Kβ. Com isso, verificamos que a AuNP tem maior afinidade com a molécula de OVA, seguido pela Glutationa e domínio ASC PYCARD, já a AuNP+OVA tem maior afinidade com a molécula de Glutationa, seguido pelo NF-Kβ. Esses resultados sugerem que nossas AuNPs e nossas AUNPs+OVA podem
    14
    estar interfirindo em vias de autofagia celular, as AuNPs nas vias celulares inflamatórias e apoptóticas e AUNPs+OVA em vias inflamatórias. Mas são necessárias maiores investigações para confirmar e entender esses ensaios.


  • Mostrar Abstract
  • There are several proposals for interferences in the immune response, either preventive or therapeutic. One of these very promising forms of interference that has been studied is the injection of immunologically tolerated proteins. Oral tolerance is a phenomenon that inhibits the immune response, such as the formation of specific antibodies, after immunization with antigen plus adjuvant in animals previously exposed to the protein via the oral route. In this work, we studied whether subcutaneous application (s.c.) in mice, of gold nanoparticles (AuNPs) associated with Ovalbumin (OVA) would contribute to the establishment of oral tolerance, as an adjuvant material. In this sense, we synthesized spherical AuNPs, with approximately 7 nm, functionalized with OVA and made the physical-chemical characterization of the material, for that, we used the Ultraviolet-Visible Spectroscopy (UV-Vis), Transmission Electron Microscopy (MET), Scattering Dynamic Light (DLS) and the Zeta Pontential. Subsequently, an oral treatment with OVA was performed for 5 consecutive days in Swiss, male, 8-week-old mice. Seven days after oral treatment, all animals received their primary injections (s.c) at the base of the tail and twenty-one days after the primary injections, the animals received secondary injections (s.c). On the day of the primary injections, lesions were made in one of the mice's ears. We evaluated the immunization potential, as well as the establishment of the OVA tolerance of the animals, verifying the total anti-OVA antibody titer with the Enzyme-linked Immunosorbent Assay (ELISA). The base of the tail was also histologically evaluated, at the place where the animals received injections and ear injuries, to assess the indirect effects of oral tolerance. The results demonstrated that AuNP + OVA have an adjuvant role and are able to maintain the indirect effects of oral tolerance. Subsequently, to understand
    16
    which intracellular signaling pathways AuNPs and AuNPs + OVA can interfere with immune responses, we did a modeling in silico interactions between AuNPs and AuNPs + OVA with OVA, LC3 proteins; ASC PYCARD; Glutathione; TLR4; PI3K and NF-Kβ. That way, we verified that AuNP has greater affinity with the OVA molecule, followed by Glutathione and ASC PYCARD domain, whereas AuNP + OVA has greater affinity with the Glutathione molecule, followed by NF-Kβ. These results suggest that our AuNPs and AUNPs + OVA may be interfering in cell autophagy pathways, AuNPs in inflammatory and apoptotic cell pathways and AUNPs + OVA in inflammatory pathways. However investigation is needed to confirm and understand these trials.

2
  • BRUNO HENRIQUE COSTA
  • ESTUDO DOS EFEITOS SISTÊMICOS DA TOLERÂNCIA ORAL NO PROCESSO DE REPARO DE DEFEITO ÓSSEO EM RATOS WISTAR
  • Orientador : ERIKA LORENA FONSECA COSTA DE ALVARENGA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ERIKA LORENA FONSECA COSTA DE ALVARENGA
  • CLAUDIA ROCHA CARVALHO
  • RAQUEL ALVES COSTA
  • MARCOS AUGUSTO DE SÁ
  • Data: 19/02/2021

  • Mostrar Resumo
  • Com o aumento da longevidade o número de lesões ósseas tem
    aumentado significativamente, sendo relacionado a quedas e/ou distúrbios
    metabólicos, como osteoporose, que podem afetar no processo de reparo e
    remodelamento ósseo. O processo de reparo nos ossos ocorre em 3 fases que
    se sobrepõe: Inflamatória, formação de calo e remodelamento. Uma fase crítica
    no reparo de lesões ósseas é a inflamatória, visto que é onde ocorrem as
    migrações de células como macrófagos, neutrófilos, linfócitos para o sítio da
    lesão e a produção de citocinas e fatores de crescimento que vão regular toda a
    cinética do reparo, afetando-o de forma positiva ou negativa. Um fenômeno que
    tem demonstrado reduzir os efeitos inflamatórios são os efeitos sistêmicos da
    tolerância oral, como já demonstrado na melhora do reparo de feridas de pele,
    diminuição do tamanho de granulomas, entre outros. Entretanto até o momento
    não há registro de estudos dos efeitos da tolerância oral no processo de reparo
    do tecido ósseo lesionado. Neste trabalho investigamos se os efeitos da
    tolerização oral com injeção i.p. da proteína zeína (componente da ração de
    ratos) adsorvida em hidróxido de alumínio no dia em que o defeito ósseo foi feito
    em tíbias de ratos machos Wistar, interefere no processo de reparo 7, 14 e 28
    dias pós lesão o tecido ósseo por análises histopatológicas, de raio-X, tomografia
    digital computadorizada e de força mecânica. A pesagem dos úmeros revelou
    que a possível adaptação dos animais após o procedimento cirúrgico não
    interfere na massa óssea dos úmeros. Os pesos das tíbias também foram
    medidos e sugerem que a tolerização mantém o peso das tíbias lesionadas nos
    períodos de 14 e 28 dias semelhante ao da tíbia não lesionada do mesmo animal,
    enquanto os demais grupo apresentaram um aumento de peso na tíbia lesionada
    em relação ao seu controle. Os achados deste trabalho revelam aceleração no
    processo de reparo em animais que receberam injeção de zeína adsorvida em
    Al(OH)3 nos períodos de 7 e 14 dias por histomorfometria. A qualidade do osso
    neoformado dos animais tolerizados por meio de testes mecânicos revelam por
    DMO e raio-X que animais tolerizados com 28 dias após a lesão apresentam
    aumento da mineralização no local da lesão além de maior suporte a cargas
    mecânicas, observado em teste de flexão biapoiada. Os resultados da tomografia digital computadorizada revelaram aumento na mineralização do
    local da lesão em animais tolerizados com 45 dias após o procedimento cirúrgico.
    As análises morfológicas dos baços não mostraram diferenças significativas nos
    períodos estudados. Sendo assim esse trabalho foi pioneiro no estudo dos
    efeitos da tolerância oral por zeína em reparo ósseo, demonstrando melhora
    significativa no processo de reparo de defeito ósseo. Faz-se necessário mais
    estudos a fim de compreender melhor os efeitos da tolerância oral no tecido e no
    processo de reparo ósseo.

  • Mostrar Abstract
  • With the increase in longevity the number of bone injuries has increased
    significantly, being related to falls and / or metabolic disorders, such as
    osteoporosis, which can affect the bone repair and remodeling process. The bone
    repair process occurs in 3 overlapping phases: Inflammatory, callus formation
    and remodeling. A critical phase in the repair of bone injuries is inflammatory,
    since it is where migrations of cells such as macrophages, neutrophils,
    lymphocytes to the injury site occur and the production of cytokines and growth
    factors that will regulate all the kinetics of the repair, affecting you positively or
    negatively. A phenomenon that has been shown to reduce inflammatory effects
    is the systemic effects of oral tolerance, as already demonstrated in improving
    skin wound repair, decreasing the size of granulomas, among others. However,
    to date, there is no record of studies on the effects of oral tolerance in the repair
    process of injured bone tissue. In this work we investigate whether the effects of
    oral toleration with i.p. of the zein protein (component of the ration of rats)
    adsorbed on aluminum hydroxide on the day that the bone defect was made in
    tibias of male Wistar rats, interferes in the repair process 7, 14 and 28 days after
    injury the bone tissue by histopathological analyzes, X-ray, digital computed
    tomography and mechanical strength. The weighing of the humerus revealed that
    the possible adaptation of the animals after the surgical procedure does not
    interfere with the bone mass of the humerus. The tibial weights were also
    measured and suggest that the tolerance maintains the weight of the injured tibia
    in the periods of 14 and 28 days similar to that of the uninjured tibia of the animal
    memo, while the other groups showed an increase in weight in the injured tibia
    compared to the your control. The findings of this work reveal an acceleration in
    the repair process in animals treated with zein in the periods of 7 and 14 days by
    histomorphometry. The quality of the newly formed bone of animals tolerated by
    means of mechanical tests reveals by BMD and X-ray that animals tolerated at
    28 days after the injury show increased mineralization at the injury site in addition
    to greater support for mechanical loads, observed in flexion test supported. The
    results of digital computed tomography revealed an increase in mineralization of the lesion site in animals tolerated 45 days after the surgical procedure.
    Morphological analyzes of the spleens did not show significant differences in the
    studied periods. Thus, this work was a pioneer in the study of the effects of oral
    zein tolerance on bone repair, demonstrating significant improvement in the bone
    defect repair process. Further studies are needed to better understand the effects
    of oral tolerance on tissue and the bone repair process.

3
  • GENIANE VIANA RABELO
  • EFEITO DO Ageratum conyzoides SOBRE ÓRGÃOS DE MUSCULATURA LISA

  • Orientador : PRISCILA TOTARELLI MONTEFORTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDILSON DANTAS DA SILVA JUNIOR
  • FLAVIA CARMO HORTA PINTO
  • LUCIANO RIVAROLI
  • PRISCILA TOTARELLI MONTEFORTE
  • Data: 31/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • As plantas medicinais são muito utilizadas na medicina popular, entre elas temos a espécie Ageratum conyzoides, conhecida popularmente como “mentrasto”. Esta é uma planta tropical, que possui uma ampla variedade de metabólitos secundários que incluem terpenos, esteroides e alcaloides, além de óleos essenciais. O A. conyzoides é utilizado na medicina popular para o tratamento de febres, cólicas, úlceras e doenças inflamatórias. Alguns estudos demonstraram o efeito benéfico da fração aquosa de A. conyzoides sobre a hiperplasia prostática benigna, efeito antitumoral e relaxamento dos órgãos jejuno, duodeno e útero. Não há na literatura nenhum trabalho demonstrando o efeito do óleo essencial de A. conyzoides, por isso o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do óleo essencial de A. conyzoides sobre a contração de órgãos de musculatura lisa, assim como tentar descrever seu possível mecanismo de ação. Para a realização dos experimentos foram utilizados ductos deferente e jejuno de camundongos. Estes órgãos foram estimulados respectivamente com KCl, adrenalina e KCl e carbacol. Doses crescentes de óleo essencial de A. conyzoides foram pré-incubados na presença e na ausência de nifedipina. Para comparar o efeito do óleo com o efeito da nifedipina foi utilizado o parâmetro farmacológico de IC50. A análise fitoquímica mostrou que o precoceno I está em maior porcentagem em nosso óleo. O óleo essencial de A. conyzoides, foi capaz de inibir tanto o componente fásico quanto o componente tônico da contração do ducto deferente induzido por KCl ou por adrenalina. A nifedipina também inibiu a contração. O efeito de A. conyzoides foi potencializado na presença da nifedipina, sendo o componente tônico da contração por KCl e os componentes fásico e tônico da contração induzida por adrenalina mais sensível do que o efeito somente do A. conyzoides sobre os respectivos componentes. No jejuno, o componente fásico da contração induzida por KCl é mais sensível à ação de A. conyzoides do que o tônico. Na presença da nifedipina o efeito do óleo foi potencializado, porém somente sobre o componente fásico. Dessa maneira, nossos resultados sugerem que o óleo essencial de A. conyzoides inibe a contração de órgãos de musculatura lisa e que este efeito pode estar acontecendo por inibição dos canais de cálcio voltagem dependente bem como por um outro mecanismo responsável pela contração muscular.


  • Mostrar Abstract
  • Medicinal plants are widely used in folk medicine, among them we have the species Ageratum conyzoides, popularly known as "mentrasto". This is a tropical plant, which has a wide variety of secondary metabolites that include terpenes, steroids and alkaloides, plus essential oils. A. conyzoides is used in folk medicine for the treatment of fevers, ulcers and inflammatory diseases. Some studies have shown the beneficial effect of aqueous fraction of A. conyzoides on benign prostatic hyperplasia, antitumor effect and relaxation of the jejunum, duodenum and uterus. There is no work in the literature demonstrating the effect of the essential oil of A. conyzoides, so the objective this work was to evaluate the effect of the essential oil of A. conyzoides on the contraction of smooth muscle organs, as well as to try to describe possible mechanism of action. To perform the experiments, vas deferens and mouse jejunum were used. These organs were stimulated respectively with KCl, adrenaline and KCl and carbacol. Increasing doses of essential oil of A. conyzoides were preincubated in the presence and absence of nifedipine. To compare the effect of the oil with the effect of nifedipine, IC50 was used. Phytochemical analysis showed that precocen I is in greater quantity in our oil. The essential oil of A. conyzoides was able to inhibit both the phasic component and the tonic component of KCl or adrenaline-induced vas deferens contraction. Nifedipine also inhibited contraction. The effect of A. conyzoides was enhanced in the presence of nifedipine, being the phasic component KCl contraction and the phasic and tonic components of the most sensitive adrenaline-induced contraction than the effect only of A. conyzoides on its components. In the jejunum, the phasic composition of KCl-induced contraction is more sensitive to the action of A. conyzoides than the tonic. In the presence of nifedipine the effect of the oil was enhanced, but only on the phasic component. In this way, our results suggest that the essential oil of A. conyzoides can inhibit voltage-gated calcium channels and may be acting in another mechanism responsible for inhibiting muscle contraction of smooth muscle organs.

2020
Dissertações
1
  • FILIPE RESENDE OLIVEIRA DE SOUZA
  • Avaliação de paramêtros imunológicos e expressão dos receptores do peptídeo vasoativo intestinal (VPAC1 e 2) em baços de camundongos neonatos oriundos de mães infectadas e não infectadas com Zika vírus

  • Orientador : PATRICIA MARIA D ALMEIDA LIMA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ETEL ROCHA VIEIRA
  • FABÍOLA MARA RIBEIRO
  • PATRICIA MARIA D ALMEIDA LIMA
  • Data: 17/08/2020

  • Mostrar Resumo
  • O Zika vírus (ZIKV) é um patógeno emergente da família Flaviviridae, transmitido por

    mosquitos do gênero Aedes. Nos últimos anos, ZIKV tem causado anormalidades

    neurológicas e Síndrome de Guillain-Barré em adultos, e em gestantes, complicações

    para o desenvolvimento fetal, incluindo a Síndrome Congênita do Zika. O peptídeo

    vasoativo intestinal (VIP) é um peptídeo com propriedades antiinflamatórias e

    imunomoduladoras. Através de seus receptores de membrana VPAC 1 e 2, VIP

    influencia a atividade de diversas células do sistema imune. Conhecer a distribuição dos

    receptores VPAC é crucial para entender como VIP pode agir em diferentes células e

    tecidos. O baço é o principal órgão linfoide secundário, e abriga linfócitos T, B e

    macrófagos, que respondem de maneira antiinflamatória à inervação vagal colinérgica.

    Neste estudo, baços de camundongos neonatos provenientes de mães infectadas e não

    infectadas com ZIKV foram analisados por meio de imunohistoquímica para quantificar

    a presença dos receptores VPAC1 e 2, do receptor CD11b de linhagem macrofágica, e

    do receptor nicotínico colinérgico α7nAChR. Os resultados demonstram que a infecção

    materna por ZIKV provoca um aumento significativo do receptor VPAC 2 no baço dos

    neonatos. Inesperadamente, foi encontrada uma quantidade significativamente maior de

    megacariócitos no baço dos animais do grupo ZIKV+ quando comparados com PBS,

    demonstrando que a infecção materna por ZIKV+ influencia a dinâmica de populações

    hematopoiéticas na prole. Além disso, células precursoras de linhagem mastocitária

    foram encontradas no baço de ambos os grupos. A infecção materna por ZIKV+ causou

    uma diminuição significativa na expressão de VPAC 1 nos precursores mastocitários.

    Tomados juntos, estes dados evidenciam a importância da expressão diferencial dos

    recepores VPAC em células do sistema imune durante a resposta imunológica ao ZIKV.

    Mais estudos são necessários para desvendar a relação funcional dos receptores VPAC

    durante a infecção por ZIKV, de que forma VIP pode modular o comportamento das

    células aqui quantificadas, e quais as consequências para o desenvolvimento dos

    neonatos.


  • Mostrar Abstract
  • Zika virus (ZIKV) is an emergent pathogen of the Flaviviridae family, transmitted by

    Aedes mosquitoes. In the last years, ZIKV has caused neurological abnormalities and

    Guillain Barré Syndrome (GBS) in adult individuals, and fetal developmental

    complications in pregnant women, including Congenital Zika Syndrome (CZS).

    Vasoactive intestinal peptide (VIP) is an antiinflammatory and imunomodulator peptide.

    Through its membrane receptors VPAC 1 and VPAC 2, VIP influences the activity of a

    diverse range of cells of the immune system. The distribution of VPAC receptors is

    crucial to understand how VIP can act in different cells and tissues. The spleen is the

    main secundary lymphoid organ, and houses T and B cells, and macrophages that

    respond in an antiinflammatory manner to cholinergic vagal innervation. In this study,

    newborn mice from ZIKV-infected and uninfected mothers were studied through

    immunohistochemistry to quantify VPAC1 and VPAC2, CD11b, which is a

    macrophage marker, and the nicotinic cholinergic receptor α7nAChR in the spleen of

    the offspring. The results demonstrate that maternal infection by ZIKV significantly

    increases the expression of VPAC 2 receptor in the spleen of newborn mice.

    Surprisingly, it was found a dramatic increase in the population of megakaryocytes in

    the spleen of ZIKV+ animals, when compared to the healthy group, suggesting that

    ZIKV maternal infection influences the behaviour of hematopoetic cells in the offspring.

    Nonetheless, mast cell precursors were found in the spleen of both groups PBS and

    ZIKV+. Maternal ZIKV infection caused a significant decrease in the expression of

    VPAC 1 in these mast cell precusors. Taken together, these data reveal the importance

    of the differential distribution of VPAC receptors in immune cells during the

    immunological response to ZIKV. Studies are needed to unreveal the functional relation

    of VPAC receptors during ZIKV infection, how VIP can modulate the behaviour and

    phenotype of cells in the spleen, and what is the functional consequences to

    development of the offspring.

2
  • JULIO PANZERA GONCALVES
  • A DELEÇÃO GENÉTICA DO RECEPTOR 4 DO TIPO TOLL ACARRETA EM AUMENTO DA POPULAÇÃO FOLICULAR OVARIANA E ALTERA A FERTILIDADE DE CAMUNDONGOS FÊMEAS ADULTAS

  • Orientador : PAULO HENRIQUE DE ALMEIDA CAMPOS JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDA RADICCHI CAMPOS LOBATO DE ALMEIDA
  • FLAVIA CARMO HORTA PINTO
  • PATRICIA MARIA D ALMEIDA LIMA
  • PAULO HENRIQUE DE ALMEIDA CAMPOS JUNIOR
  • Data: 21/10/2020

  • Mostrar Resumo
  • Os folículos constituem a unidade funcional dos ovários, uma vez que proporcionam o microambiente necessário à ativação, crescimento e maturação dos oócitos. Vários estudos têm sido desenvolvidos buscando a elucidação da participação de diferentes tipos de ligantes e receptores na foliculogênese. O receptor Toll-like 4 (TLR4) é mais conhecido por seu protagonismo no reconhecimento de lipopolissacarídeos produzidos por bactérias. Em relação à reprodução feminina, o TLR4 é expresso por células cumulus murinas e participa da ovulação e da expansão do complexo cumulus-oócito (COC), interação materno-fetal e parto prematuro. Apesar desses fatos, o papel do TLR4 na fisiologia ovariana não é totalmente compreendido. Assim, o objetivo do presente estudo foi investigar os efeitos da deleção genética de TLR4 na foliculogênese de camundongos e fertilidade feminina através de análises de cruzamentos reprodutivos, responsividade ovariana e quantificações foliculares em camundongos fêmeas adultas TLR4-/- (n = 79) e C57BL/6 (tipo selvagem - WT, n = 87). Foi observado que os casais com deficiência de TLR4 mostraram um número reduzido de filhotes por ninhada (p <0,05) em comparação com WT. Camundongos TLR4-/- apresentaram mais folículos primordiais (1334.0 ± 43.7 vs 1082.0 ± 28.8), primários (142.0 ± 2.7 vs 97.2 ± 2.6), secundários (71.0 ± 1.5 vs 53.1 ± 1.7) e antrais (22.5 ± 0.5 vs 16.0 ± 0.7) (p <0,05) e também maior taxa de recrutamento folicular (13% no WT vs 15% no TLR4-/-) (p <0,05) e menor taxa de atresia (0,95% no WT vs 0,66% no TLR4-/-) (p <0,05). Também foi recuperado um número menor (12.7 ± 2.3 vs 16.4 ± 4) (p <0,05) de complexos cumulus-oócito das tubas uterinas de camundongos TLR4-/- após a superovulação, e em casais heterozigotos, foi observada menor taxa de prenhez (37,5% vs 76,9%) (p <0,05) e porcentagem elevada de fetos com crescimento restrito (p <0,05) em fêmeas TLR4-/- quando comparado a fêmeas WT. Em conjunto, esses dados sugerem que o TLR4 desempenha um papel importante na regulação da foliculogênese murina determinando a reserva folicular ovariana e também, que sua deleção pode afetar o crescimento fetal e potencialmente diminuir a fertilidade feminina.


  • Mostrar Abstract
  • Toll-like receptor 4 (TLR4) is best known for its role in bacteria-produced lipopolysaccharide recognition. Regarding female reproduction, TLR4 is expressed by murine cumulus cells and participates in ovulation and in cumulus-oocyte complex (COC) expansion, maternal-fetal interaction and preterm labor. Despite these facts, the
    role of TLR4 in ovarian physiology is not fully understood. Thus, the aim of the present study was to investigate the effects of TLR4 genetic ablation on mice folliculogenesis and female fertility, through analyses of reproductive crosses, ovarian responsiveness and follicular quantification in TLR4-/- (n=79) and C57BL/6 (wild type/WT, n=87). TLR4 deficient pairs showed a reduced number of pups per litter ( p < 0.05) compared to WT. TLR4-/- mice presented more primordial, primary, secondary and antral follicles (p < 0.05) and also a larger follicular recruitment rate ( p < 0.05) and a smaller atresia rate ( p < 0.05). A lower ( p < 0.05) number of COC was recovered from TLR4-/-mice oviducts after superovulation, and in heterozygous pairs, TLR4-/- females also showed a reduced pregnancy rate and an increased percentage of fetuses with restricted growth ( p < 0.05) when compared to WT. Altogether, these data suggest that TLR4 plays an important role in the regulation of murine folliculogenesis and in
    determining ovarian endowment. TLR4 deficiency may affect fetal growth and potentially decrease fertility, therefore, the potential side effects of its blockade has to be carefully investigated.

3
  • KARINE STHÉFANY SERPA AMARAL DIAS

  • Efeitos do uso de extrato etanólico de Ocimum basilicum no processo de cicatrização de feridas cutâneas em camundongos

  • Orientador : FLAVIA CARMO HORTA PINTO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FLAVIA CARMO HORTA PINTO
  • PAULA VIEIRA TEIXEIRA VIDIGAL
  • PAULO HENRIQUE DE ALMEIDA CAMPOS JUNIOR
  • PRISCILA TOTARELLI MONTEFORTE
  • RAQUEL ALVES COSTA
  • Data: 11/12/2020

  • Mostrar Resumo
  • A cicatrização de feridas cutâneas é um processo que envolve uma série de eventos, células e fatores, que visam o reparo do tecido que sofreu inicialmente um trauma ou lesão. Muitas pesquisas se concentram atualmente na busca por possíveis terapias e fármacos que possam contribuir no processo de reparo. As plantas medicinais são alvo de muitas pesquisas, visto sua gama de propriedades farmacológicas, incluindo estudos do uso das mesmas em feridas em modelos experimentais. O manjericão (Ocimum basilicum) é uma planta que vem sendo descrita com muitas propriedades, dentre elas anti-inflamatória e antioxidante. O objetivo do presente trabalho foi analisar os efeitos do uso intraperitoneal (i.p.) e administração tópica do extrato etanólico de Ocimum basilicum (EEOB) no processo de cicatrização de feridas cutâneas incisionais e excisionais em camundongos. Foram utilizados camundongos Swiss, divididos em grupos conforme tratamento e tipo de ferida. Nos animais que foram confeccionadas a ferida incisional, o tratamento foi realizado com EEOB intraperitoneal (i.p.) a 150 mg/Kg diariamente ou salina i.p., por 5 ou 7 dias pós-lesão, dependendo do grupo, e posterior eutanásia dos animais. Já nos animais que foram confeccionadas as feridas excisionais, o tratamento foi realizado nos grupos tratados com EEOB tópico a 38 mg/Kg na lesão esquerda e EEOB tópico a 100 mg/Kg na lesão direita, três vezes ao dia; enquanto que o grupo controle recebia salina tópica, sendo os animais posteriormente eutanasiados a 1, 3, 5 ou 21 dias após lesão e tratamento, conforme o grupo experimental. Posteriormente, as lesões passaram por processamento histológico e análise em microscópio, sendo que as lesões excisionais também eram avaliadas macroscopicamente antes da eutanásia. As análises histopatológicas nos animais com lesão incisional e tratados com injeção EEOB i.p. em relação ao grupo que recebeu salina i.p. diária, apontam para uma diminuição no número de leucócitos aos 5 dias e de mastócitos aos 7 dias pós-lesão. Em relação às feridas excisionais, as análises indicam que a 1 dia houve diminuição no número de leucócitos nos grupos tratados em relação ao grupo salina e diminuição de área do edema e tecido adiposo. Aos 3 dias, o grupo tratado com EEOB a 100 mg/Kg apresentou maior área da ferida macroscópica em relação aos demais grupos. Aos 5 dias, houve diminuição de novos vasos sanguíneos no grupo tratado com EEOB a 38 mg/Kg em relação ao salina; e o grupo EEOB a 100 mg/Kg apresentava menos tecido adiposo em relação aos outros grupos e maior área de tecido de granulação. E por fim, aos 21 dias, a reepitelização foi completa na maioria dos animais de todos os grupos, e a deposição de colágeno na região da cicatriz era melhor nos grupos tratados, com mais semelhança à pele intacta adjacente à área de lesão. Os resultados apontam para uma ação anti-inflamatória do EEOB nos grupos que receberam o mesmo, principalmente na fase mais inicial do processo. Além disso, o extrato pode ter influenciado na melhor deposição de colágeno na fase de remodelamento tecidual. Sugere-se que o EEOB apresenta possíveis propriedades terapêuticas eficazes no tratamento de cicatrização de feridas cutâneas e mais estudos aprofundados sobre como é a atuação das vias de administração do EEOB são necessários para validar um possível tratamento à base da planta para a patologia em questão.


  • Mostrar Abstract
  • The healing of skin wounds is a process that involves a serie of events, cells and factors, aimed at repairing the tissue that initially suffered a trauma or injury. Many researches are currently focused on the serach for possible therapies and drugs that can contribute to the repair process. Medicinal plants are the subject of much research, given their range of pharmacological properties, including studies of their use in wounds in experimental models. Basil (Ocimum basilicum) is a plant that has been described with many properties, including anti-inflammatory and antioxidante. The aim of the presente work was to analyze the effects of intraperitoneal (i.p.) and the topical administration of the ethanolic extract of Ocimum basilicum (EEOB) in the healing process of incisional and excision cutaneous wounds in mice. Swiss mice were used, divided into groups according to treatment and type of wound. In the animals that made the incisional wound, the treatment was performed with intraperitoneal EEOB (i.p.) at 150 mg/Kg daily or saline i.p., for 5 or 7 days post-injury, depending on the group, and later the animals were euthanized. In the animals that made the excision wounds, the treatment was carried out in the groups treated with topical EEOB at 38 mg/Kg in the left lesion and topical EEOB at 100 mg/Kg in the right lesion, three times a day, while the control group received topical saline; the animals were subsequently euthanized 1, 3, 5 or 21 days after injury and treatment, depending on the experimental group. Thereafter, the lesions underwent histological processing and microscopic analysis, and the excisional lesions were also assessed macroscopically before euthanasia. Histopathological analyzes in animals with incisional lesion and treated with EEOB injection i.p. in relation to the group that received saline i.p. daily, point to a decrease in the number of leukocytes at 5 days and mast cells at 7 days post-injury. Regarding excision wounds, the analysis indicates that within 1 day there was a decrease in the number of leukocytes in the treated groups in relation to the saline group and a decrease in the area of edema and adipose tissue. At 3 days, the grouptreated with EEOB at 100 mg/Kg showed a larger area of macroscopic wound compared to the other groups. At 5 days, there was a decrease in new blood vessels in the EEOB treated group at 38 mg/Kg compared to saline; and the EEOB group at 100 mg/Kg had less adipose tissue compared to the other groups and a greater area of granulation tissue. Finally, at 21 days, reepithelization was complete in most animals of all groups, and collagen deposition in the scar region was better in the treated groups, with more similarity to the intact skin adjacent to the lesion area. The results point to an antiinflammatory action of EEOB in the groups that received the extract, mainly in the initial phase of the process. Furthermore/besides, the extract may have influenced the better collagen deposition in the tissue remodeling phase. It is suggested that EEOB has potentially effective therapeutic properties in the treatment of skin wounds healing and further in-depth studies on how the EEOB administration pathways work are needed to validate a possible plant-based treatment for the pathology in question.

2019
Dissertações
1
  • RAISA MILEIB SANTOS OLIVEIRA
  • EFEITOS DA TOLERÂNCIA IMUNOLÓGICA AO COLÁGENO NO REPARO DE LESÕES CUTÂNEAS EM CAMUNDONGOS

  • Orientador : CLAUDIA ROCHA CARVALHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDREZZA FERNANDA SANTIAGO
  • CLAUDIA ROCHA CARVALHO
  • FLAVIA CARMO HORTA PINTO
  • RAQUEL ALVES COSTA
  • Data: 12/08/2019

  • Mostrar Resumo
  • -


  • Mostrar Abstract
  • -

2
  • JÉSSICA FERNANDA FONSECA MACHADO
  • Avaliação de dois protocolos de cripreservação utilizando diluidores e meios capacitantes comerciais específicos para sêmen de Canis Lupus Familiaris

  • Orientador : PAULO HENRIQUE DE ALMEIDA CAMPOS JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LUCIANO RIVAROLI
  • PAULO HENRIQUE DE ALMEIDA CAMPOS JUNIOR
  • TÂNIA MARA SEGATELLI
  • Data: 13/09/2019

  • Mostrar Resumo
  • -


  • Mostrar Abstract
  • -

3
  • NATHALIA NASCIMENTO VASCONCELOS
  • OS EFEITOS DE DIFERENTES MODALIDADES DE TREINAMENTO DE ALTA INTENSIDADE NO CORAÇÃO E CÉREBRO DE RATOS COM ISQUEMIA CEREBRAL

  • Orientador : LAILA CRISTINA MOREIRA DAMAZIO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ITA DE OLIVEIRA SILVA
  • LAILA CRISTINA MOREIRA DAMAZIO
  • PRISCILA TOTARELLI MONTEFORTE
  • Data: 06/12/2019

  • Mostrar Resumo
  • -


  • Mostrar Abstract
  • -

4
  • ROSIANE APARECIDA DE CASTRO COSTA
  • Avaliação da aplicação de nanopartículas de ouro e biogel de colágeno associados aos efeitos sistêmicos da tolerânica oral no repao de feridas em pele de camundongos

  • Orientador : PAULA PEIXOTO CAMPOS LOPES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PATRICIA MARIA D ALMEIDA LIMA
  • PAULA PEIXOTO CAMPOS LOPES
  • RAQUEL ALVES COSTA
  • Data: 17/12/2019

  • Mostrar Resumo
  • Avaliação da aplicação de nanopartículas de ouro e biogel de colágeno associados aos efeitos sistêmicos da tolerânica oral no repao de feridas em pele de camundongos


  • Mostrar Abstract
  • Evaluation of the application of gold nanoparticles and collagen biogel associated with the systemic effects of oral tolerance in the repair of skin wounds in mice
5
  • JORDANA FERNANDES RESENDE
  • Análise do efeito do HIIT na função e morfologia cardíaca de ratos wistar (Rattus novergicus)

  • Orientador : LUCIANO RIVAROLI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALBENÁ NUNES DA SILVA
  • LUCIANO RIVAROLI
  • PRISCILA TOTARELLI MONTEFORTE
  • Data: 18/12/2019

  • Mostrar Resumo
  • -


  • Mostrar Abstract
  • -

SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02