Banca de DEFESA: JACKSON JARDEL DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JACKSON JARDEL DOS SANTOS
DATA : 07/08/2020
HORA: 14:30
LOCAL: sala vídeo conferência
TÍTULO:

“A GENTE JÁ VIVE PRATICAMENTE NA HISTÓRIA”: EXPERIÊNCIAS, MEMÓRIAS E REPRESENTAÇÕES DOS CHARRETEIROS DE TIRADENTES (MINAS GERAIS)


PALAVRAS-CHAVES:

experiência, narrativa, representação, patrimônio cultural, memória.


PÁGINAS: 132
RESUMO:

Esta pesquisa busca compreender a ação educativa realizada pelos charreteiros da cidade
de Tiradentes (Minas Gerais), bem como as experiências vividas por eles e de que forma elas
aparecem representadas nas narrativas e histórias que contam aos turistas, ao conduzi-los pelas
ruas da cidade.
Ao longo dessa pesquisa, foram utilizados questionários socioculturais para traçar o
perfil do grupo, observações diretas das atividades dos charreteiros nos pontos turísticos e
passeios de charrete. Foram realizadas, ainda, entrevistas a partir da abordagem da História
Oral, para reconstituir as histórias de vida dos charreteiros, sempre buscando a compreensão
dos testemunhos no contexto histórico e cultural da cidade.
Os charreteiros são considerados oficialmente patrimônio imaterial da cidade, por uma
lei municipal. Foi possível perceber que se trata de um grupo majoritariamente masculino, cuja
escolaridade se concentra no Ensino Fundamental, que tem o hábito de visitar museus e que se
reconhece como patrimônio da cidade. Suas narrativas se concentram nos seguintes temas:
História da cidade de Tiradentes e ocupação do território com a descoberta do ouro, Patrimônio
Material (ou “de pedra e cal”, presente no conjunto arquitetônico tombado), Patrimônio
Intangível (lendas, tradições, religiosidade e humanidade), Personagens considerados
importantes que ali viveram e suas ações, Inconfidência Mineira e alguns aspectos sobre a
Escravidão.
A cidade de Tiradentes é o local onde eles passaram a infância e também onde residem
e trabalham, é nesta cidade que estão as suas memórias, sentidos e afetos. Suas narrativas
partem das experiências que vivenciaram na cidade, dos casos contados e partilhados em
família, da educação formal recebida na escola e livros didáticos, das conversas com os amigos
de ofício, da religiosidade e de suas tradições. Assim, cada charreteiro ou charreteira
entrevistado/a apresenta a sua versão da história, a representação daquilo que tem significado e
sentido, havendo, ao mesmo tempo, uma memória coletiva da cidade que é narrada ao longo
dos passeios de charrete.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1350874 - CHRISTIANNI CARDOSO MORAIS
Interno - 1999919 - GIOVANA SCARELI
Externo à Instituição - JEZULINO LUCIO MENDES BRAGA - UFMG
Notícia cadastrada em: 07/07/2020 17:58
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2021 - UFSJ - sigaa02.ufsj.edu.br.sigaa02