Banca de DEFESA: AURELIO SILVA FERNANDES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AURELIO SILVA FERNANDES
DATA : 29/01/2022
HORA: 10:00
LOCAL: online
TÍTULO:

Influência da geometria do punção na estampagem profunda do material sanduíche aço-PVC-aço com lubrificantes de fontes renováveis.

 


PALAVRAS-CHAVES:

Estampagem Profunda, Geometria do Punção, Lubrificantes Vegetais, Força Máxima de Estampagem, Rugosidade.



PÁGINAS: 100
RESUMO:

 

A concorrência global estimula as empresas de manufatura superarem desafios técnicos e comerciais que propiciem vantagens competitivas, e impactem positivamente na sustentabilidade de seus processos. Neste contexto, os processos de conformação mecânica surgem como uma alternativa viável quanto à eficiência, em comparação a outros processos de transformação. O processo de estampagem profunda consiste na conformação mecânica de uma chapa em um formato final especificado pelo projeto. Esta chapa é forçada contra uma matriz por um punção que geralmente possui o formato interno da peça acabada. Foi avaliada nesta pesquisa a influência da geometria do punção e do tipo de lubrificante na estampagem profunda pelo ensaio de Swift. Existem poucas pesquisas relacionadas à influência da geometria do punção. Quanto a lubrificação, a possibilidade de substituir os óleos minerais por óleos vegetais impacta os critérios de sustentabilidade pelo fato de serem biodegradáveis, são de fácil descarte e por não afetarem a saúde dos profissionais. Foram estampados copos formados por um material sanduíche aço-PVC-aço utilizando punções sem canais e com canais. Os lubrificantes foram o óleo mineral Renoform e os óleos de Linhaça e Mamona de origem vegetal. As respostas analisadas foram a força máxima de estampagem e a rugosidade nos perfis Ra, Rz e Rt. Constatou que o tipo de punção exerceu maior influência sobre a força máxima de estampagem, ocorrendo uma redução quando empregado o punção com canais. A redução da força máxima de estampagem resulta em uma maior eficiência energética, minimiza as forças de atrito, diminui a carga das prensas entre outras vantagens. Quando analisada a rugosidade, somente o tipo de lubrificante exerceu influência. O estudo evidenciou a possibilidade de substituição do lubrificante mineral por óleos vegetais em alguns casos.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 434945 - FREDERICO OZANAN NEVES
Externo à Instituição - JALON DE MORAIS VIEIRA - IFSUDESTEMG
Interna - 2029927 - ROSELI MARINS BALESTRA
Notícia cadastrada em: 26/01/2022 12:03
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - | Copyright © 2006-2022 - UFSJ - sigaa05.ufsj.edu.br.sigaa05